Título: Dimensionameto de Condutores
Autor :
Email:


sabereletrico

Dimensionamento de Condutores Elétricos

Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito a aplicação das diversas prescrições da NBR5410 relativas à escolha da seção de um condutor e do seu respectivo dispositivo de proteção. Para que se considere um circuito completa e corretamente dimensionado, são necessários seis cálculos. A princípio, cada um deles pode resultar numa seção diferente, E a seção a ser adotada deve ser a maior dentre todas as obtidas. Nesta oportunidade, nos deteremos nos trêz primeiros critérios relacionados abaixo.

Os seis cretérios técnicos de dimensionamento são:

* Seção mínima;

* Capacidade de condução de corrente;

* Queda de tensão;

* Proteção contra sobrecargas;

* Proteção contra curtos-circuitos;

* Proteção contra contatos indiretos ( somente aplicado quando se usam dispositivos a sobrecorrente na função de seccionaqmento automático ).

- As seções mínimas admitidas nas instalações de baixa tensão com condutor de cobre para circuitos de iluminação é de 1,5mm. Enquanto que para circuitos de força, que incluem tomadas de uso geral, é de 2,5mm.

- Para calcularmos a Capacidade de condução de corrente do condutor devemos primeiro observar a maneira pelo qual iremos realizar a instalação. Pois se o condutor estará em eletroduto imbutido em alvenaria, enterrado diretamente, ao ar livre, etc... Influenciará na capacidade de troca térmica entre os condutores e o ambiente.

Pela tabela abaixo temos os tipos de linhas elétricas:

Depois de observado o tipo de instalação, devemos calcular a corrente nominal do circuito. Em um circuito monofásico temos: I = P / ( V x Cosø x µ ) .

Onde:

I é a corrente de projeto, em ampéres;

P é a potência nominal do circuito em watts;

V é a tensão entre fase e neutro, em Volts;

Cosø é o Fator de PotÊncia do circuito;

µ é o rendimento, ou seja, a relação entre a potência de saída e a potência de entrada do equipamento.

Num circuito trifásico com neutro devemos aplicar a seguinte fórmula: I = P / ( 3 x V x Cosø x µ ) .

Em um circuito trifásico equilibrado, sem neutro: I = P / ( raíz de 3 x V x Cosø x µ ) , atentando que V é a tensão entre fases em volts;

E por último, num circuito bifásico: I = P / ( V x Cosø x µ ) .

Isso tendo sido feitom, vamos considerar agora o número de condutores carregados. Condutor carregados é aquele que efetivamente é percorrido pela corrente elétrica normalmente no circuito. O condutor de proteção não é considerado condutor carregado. Sendo assim podemos ter as seguintes situações:

- Circuito trifásico com condutor neutro, 4 condutores carregados;

- Circuito trifásico sem condutor neutro, 3 condutores carregados;

- Circuito bifásico com trêz condutores, 3 condutores carregados;

- Circuito bifásico com dois condutores, 2 condutores carregados;

- Circuito monofásico co trêz condutores, 3 condutores carregados, e

- Circuito monofásico com dois condutores, 2 condutores carregados.

Só agora, de posse dessas informações. Verificamos abaixo, qual a bitola do condutor a ser utilizado.

Como exemplo podemos dimensdionar os condutores do circuito de um forno elétrico que possui a potência de 5000W, Tensão de alimentação de 220V, revestimento dos condutores em PVC, instalados em eletroduto de PVC imbutidos em parede de alvenaria a uma temperatura ambiente de 30°C.

Na tabela dos tipos de instalação, vemos que se inquadra no tipo B5. O cálculo da corrente mostra, I = 5000 / 220 x 1 x1 > I = 22,72 A. ( Sabendo que em um circuito puramente resistivo, tanto o rendimento, como o fator de potência é 1 ).

O número de condutores carregados é dois. Entrando com estes dados na coluna B, 2 condutores carregados na tabela acima. Vemos o valor 24 A que equivale ao condutor de cobre de seção 2,5mm. Logo, esse condutor se aplica a nossa realidade.

Agora que atendemos ao critério da Capacidade de condução de corrente, vamos agora verificar o dimensionamento pela queda de tensão.

Aqui estão os limites em percentuais, das quedas de tensão máximas nas instalações.

Obs.: Esses valores são os valores máximos admitidos numa instalação, compeendida entre o ponto de medição e a carga instalada.

Sabendo a potência, e o comprimento do condutor. è só multiplicar a potência pelo comprimento do condutor, que acharemos o watts/metro que o procuraremos em uma das tabelas abaixo, conforme a tensão do circuito e o percentual adotado.

Logo, se no nosso exemplo, o comprimento ( não confundir com a distância do alimentador e a carga ) do conduttor for de 10 metros, temos: 5000 x 15 =75000 wm (wattsmetro). Se estipulamos como queda máxima de tensão entre o quadro de distribuição e o forno um percentual de 2%, teremos pela tabela de 220Volts a indicação pelo condutor de 4mm. Como essa seção é superior a indicada pelo critério da capacidade de condução de corrente ( 2,5mm ), resolvemos optar pela seção de 4mm determinada pelo critério da queda de tensão.